Características

Especificações

  • Primeiro bloco minerado às 23:00 horas EST, em 18 de janeiro de 2014

  • Sem premine

  • Algoritmo X11, mineração CPU/GPU/ASIC disponível

  • Tempo de bloco 2,6 minutos, blocos de 2MB, ~56 transações por segundo

  • Recompensa por bloco diminui em 7,14% ao ano

  • Algoritmo de ajuste de dificuldade Dark Gravity Wave

  • Entre 17,74M e 18,92M o fornecimento total de moedas

  • Rede descentralizada de masternode

  • Superior privacy using CoinJoin

  • Transações instantâneas usando o InstantSend

  • Protection against blockchain reorganization events (commonly called 51% attacks) using ChainLocks

  • Governança Descentralizada Por Blockchain permite que os proprietários de masternode votem em propostas de orçamento e decisões que afetam Dash

Masternodes

In addition to traditional Proof of Work (PoW) rewards for mining Dash, users are also rewarded for running and maintaining special servers called masternodes. Thanks to this innovative two tier network, Dash can offer innovative features in a trustless and decentralized way. Masternodes are used to power CoinJoin, InstantSend, and the governance and treasury system. Users are rewarded for running masternodes; 45% of the block reward is allocated to pay the masternode network. You can view practical guides on all topics relating to masternodes here.

Masternodes permitem os seguintes serviços:

  • InstantSend permite transações quase instantâneas. As transações do Dash InstantSend são totalmente confirmadas em dois segundos.

  • CoinJoin gives financial privacy through a decentralized implementation of CoinJoin.

  • ChainLocks, which protects the blockchain against 51% mining attacks by signing blocks as they are mined.

  • Governance and Treasury allows stakeholders in Dash to determine the direction of the project and devotes 10% of the block reward to development of the project and ecosystem.

  • O Dash Evolution tornará o uso da criptomoeda tão fácil quanto usar o PayPal.

Masternode owners must have possession of 1000 DASH, which they prove by signing a message included in a special transaction written to the blockchain. The Dash can be moved or spent at any time, but doing so will cause the masternode to fall out of queue and stop earning rewards. Masternode users are also given voting rights on proposals. Each masternode has one vote and this vote can be used on budget proposals or important decisions that affect Dash.

Masternodes cost money and effort to host so they are paid a percentage of the block reward as an incentive. Because only one masternode is paid in each block, the frequency of the payment can vary, as well as the value of the Dash paid out. This tool shows a live calculation of masternode earnings. These rewards decrease by 7% each year, together with the block reward. There is also the possibility for masternodes to earn money from fees in the future.

CoinJoin

CoinJoin gives you consumer grade financial privacy by shuffling your Dash with other users. All the Dash in your wallet consists of different inputs, which you can think of as separate, discrete coins. It uses an innovative process to join your inputs with the inputs of at least two other people in a single transaction, so the value in Dash never leaves your wallet. You retain control of your money at all times.

You can view a practical guide to use CoinJoin here.

The CoinJoin process works like this:

  1. CoinJoin begins by breaking your transaction inputs down into standard denominations. These denominations are 0.001, 0.01, 0.1, 1 and 10 Dash – much like the paper money you use every day.

  2. Your wallet then sends requests to specially configured software nodes on the network called masternodes. These masternodes are informed then that you are interested in creating a certain denomination using CoinJoin. No identifiable information is sent to the masternodes, so they never know who you are.

  3. When two other people send similar messages, indicating that they wish to join coins of the same denomination, a session begins. The masternode instructs all three users’ wallets to pay the now-transformed inputs to themselves. Your wallet pays that denomination directly to itself but in a different address (called a change address).

  4. Your wallet can repeat this process a number of times with each denomination. Each time the process is completed it’s called a «round.» The user may choose between 2-16 rounds of CoinJoin.

  5. Your funds will pass through at least the number of rounds you specify. Dash 0.16 includes an update known as Random Round CoinJoin which will join a given denomination by up to three extra rounds to further improve privacy.

  6. This process happens in the background without any intervention on your part. When you wish to make a transaction using your denominated funds no additional waiting will be required.

Note that CoinJoin transactions will be rounded up so that all transaction inputs are spent. Any excess Dash will be spent on the transaction fee.

IMPORTANT: Your wallet only contains 1000 of these change addresses. Every time a CoinJoin transaction is created, one of your addresses is used up. Once enough of them are used, your wallet must create more addresses. It can only do this, however, if you have automatic backups enabled. Consequently, users who have backups disabled will also have CoinJoin disabled.

InstantSend

Criptomoedas descentralizadas devem esperar por um certo período de tempo para que blocos suficientes passem para garantir que uma transação seja irreversível e não uma tentativa de gasto duplo o dinheiro que já foi gasto em outro lugar. Esse processo é demorado e pode levar de 15 minutos a uma hora para que o número amplamente aceito de seis blocos se acumule. Outras criptomoedas atingem um tempo de confirmação de transação mais rápido centralizando a autoridade na rede em vários níveis.

Dash suffers from neither of these limitations thanks to its second-layer network of masternodes. Masternodes regularly form voting quorums to check whether or not a submitted transaction is valid. If it is valid, the masternodes «lock» the inputs for the transaction and broadcast this information to the network, effectively promising that the transaction will be included in subsequently mined blocks and not allowing any other spending of these inputs during the confirmation time period.

A tecnologia InstantSend permitirá que moedas criptografadas, como o Dash, concorram com sistemas de transação quase instantâneos, como cartões de crédito para situações de ponto de venda, sem depender de uma autoridade centralizada. A aceitação generalizada por parte do fornecedor do Dash e do InstantSend poderá revolucionar a criptomoeda, encurtando o atraso na confirmação de transações de uma hora (com o Bitcoin) para apenas alguns segundos.

You can view a practical guide to use InstantSend here. InstantSend was introduced in a whitepaper called Transaction Locking and Masternode Consensus: A Mechanism for Mitigating Double Spending Attacks, and further improved through the introduction of LLMQ-based InstantSend in Dash 0.14.

Como o Dash “InstantSend” protege os comerciantes de duplos gastos, Dash Detailed de Amanda B. Johnson, 16 de setembro de 2016

ChainLocks

ChainLocks are a feature provided by the Dash Network which provides certainty when accepting payments. This technology, particularly when used in parallel with InstantSend, creates an environment in which payments can be accepted immediately and without the risk of “Blockchain Reorganization Events”.

The risk of blockchain reorganization is typically addressed by requiring multiple “confirmations” before a transaction can be safely accepted as payment. This type of indirect security is effective, but at a cost of time and user experience. ChainLocks are a solution for this problem.

ChainLocks Process Overview

Every twelve hours a new “LLMQ” (Long-Living Masternode Quorum) is formed using a “DKG” (Distributed Key Generation) process. All members of this Quorum are responsible for observing, and subsequently affirming, newly mined blocks:

  1. Whenever a block is mined, Quorum Members will broadcast a signed message containing the observed block to the rest of the Quorum.

  2. If 60% or more of the Quorum sees the same new block they will collectively form a “CLSIG” (ChainLock Signature) message which will be broadcast to the remainder of the network.

  3. When a valid ChainLock Signature is received by a client on the network, it will reject all blocks at the same height that do not match the block specified in that message.

The result is a quick and unambiguous decision on the “correct” blockchain for integrated clients and wallets. From a security perspective, this also makes reorganizations prior to this block impossible. See DIP0008 ChainLocks for a full description of how ChainLocks work.

Sporks

Em resposta a problemas imprevistos com o lançamento da atualização «RC3» principal em junho de 2014, a equipe de desenvolvimento do Dash criou um mecanismo pelo qual o código atualizado é liberado para a rede, mas não imediatamente ativado («imposto»). Essa inovação permite transições muito mais suaves do que no paradigma do fork rígido tradicional, bem como a coleta de dados de teste no ambiente de rede ao vivo. Esse processo de forjamento em várias fases era originalmente chamado de «soft forking», mas a comunidade o apelidou carinhosamente de «the spork» e o nome ficou.

Novos recursos ou versões do Dash passam por testes extensivos no testnet antes de serem liberados para a rede principal. Quando um novo recurso ou versão do Dash é lançado na mainnet, a comunicação é enviada aos usuários informando sobre a alteração e a necessidade de atualizar seus clientes. Aqueles que atualizam seus clientes executam o novo código, mas ele não é ativado até que uma porcentagem suficiente de participantes da rede (geralmente 80%) chegue a um consenso sobre sua execução. No caso de ocorrerem erros com o novo código, os blocos do cliente não serão rejeitados pela rede e os forks indesejados serão evitados. Os dados sobre o erro podem então ser coletados e encaminhados para a equipe de desenvolvimento. Uma vez que a equipe de desenvolvimento esteja satisfeita com a estabilidade do novo código no ambiente mainnet - e uma vez atingido o consenso de rede aceitável - o cumprimento do código atualizado pode ser ativado remotamente por vários membros da equipe principal de desenvolvimento assinando uma mensagem de rede junto com seus respectivos parceiros privados. chaves. Caso ocorram problemas, o código pode ser desativado da mesma maneira, sem a necessidade de uma reversão em toda a rede ou de uma atualização do cliente. Para detalhes técnicos sobre sporks individuais, consulte here.

Hash Algoritimo X11

O X11 é um algoritmo de hash amplamente utilizado, criado pelo desenvolvedor do núcleo do Dash, Evan Duffield. O algoritmo de hashing encadeado do X11 utiliza uma sequência de onze algoritmos de hashing científico para a prova de trabalho. Isso é para que a distribuição do processamento seja justa e as moedas sejam distribuídas da mesma maneira que as do Bitcoin eram originalmente. O X11 pretendia tornar os ASICs muito mais difíceis de criar, dando à moeda muito tempo para se desenvolver antes que a centralização da mineração se tornasse uma ameaça. Esta abordagem foi amplamente bem sucedida; a partir do início de 2016, os ASICs para o X11 agora existem e compreendem uma porção significativa do hashrate da rede, mas não resultaram no nível de centralização presente no Bitcoin. Informações sobre mineração com X11 podem ser encontradas na seção Mining section of this documentation.

X11 é o nome do algoritmo de prova de trabalho (PoW) que foi introduzido no Dash (lançado em janeiro de 2014 como «Xcoin»). Foi parcialmente inspirado pela abordagem hashing encadeada de Quark, acrescentando mais «profundidade» e complexidade, aumentando o número de hashes, ainda difere de Quark em que as rodadas de hashes são determinadas a priori em vez de ter alguns hashes sendo escolhido aleatoriamente.

O algoritmo X11 usa várias rodadas de 11 hashes diferentes (blake, bmw, groestl, jh, keccak, meada, luffa, cubehash, shavite, simd, eco), tornando-o um dos hashes criptográficos mais seguros e sofisticados em uso pelos modernos criptomoedas. O nome X11 não está relacionado ao sistema de janelas X11 de código-fonte aberto comum em sistemas operacionais semelhantes a UNIX.

Vantagens do X11

A maior complexidade e sofisticação do algoritmo encadeado fornece níveis aprimorados de segurança e menos incerteza para uma moeda digital, em comparação com soluções de PoW com um único hash que não estão protegidas contra riscos de segurança, como SPOF (Single Point Of Failure). Por exemplo, um avanço de computação, mas não provável, que «quebra» o hash SHA256 poderia colocar em risco toda a rede Bitcoin até que a rede mude através de uma bifurcação para outro hash criptográfico.

No caso de uma descoberta de computação semelhante, uma moeda digital usando o X11 PoW continuaria a funcionar com segurança, a menos que todos os 11 hashes fossem quebrados simultaneamente. Mesmo se alguns dos 11 hashes se provassem não confiáveis, haveria um aviso adequado para uma moeda usando o X11 para tomar medidas e substituir os hashes problemáticos por outros algoritmos hash mais confiáveis.

Dada a natureza especulativa das moedas digitais e suas incertezas inerentes como um novo campo, o algoritmo X11 pode fornecer maior confiança para seus usuários e potenciais investidores que as abordagens single-hash não podem. Soluções de hashing encadeadas, como o X11, proporcionam maior segurança e longevidade para fins de armazenamento de riqueza, diversificação de investimentos e proteção contra riscos associados a moedas com hashing único afetadas por SPOF (Single Point Of Failure - Ponto Único de Falha).

Evan Duffield, o criador do Dash e do X11, escreveu em várias ocasiões que o X11 foi integrado ao Dash não com a intenção de impedir que os fabricantes de ASIC criem ASICs para o X11 no futuro, mas sim fornecer um caminho migratório similar. Bitcoin tinha (CPUs, GPUs, ASICs).

Dark Gravity Wave

DGW ou Dark Gravity Wave é um algoritmo de ajuste de dificuldade de código aberto para criptomoedas baseadas em Bitcoin que foi usado pela primeira vez no Dash e desde então apareceu em outras moedas digitais. DGW foi criado por Evan Duffield, o desenvolvedor e criador do Dash, como uma resposta a uma exploração temporal encontrada em Kimoto’s Gravity Well. No conceito, DGW é semelhante ao Kimoto Gravity Well, ajustando os níveis de dificuldade a cada bloco (em vez de cada Blocos de 2016 como o Bitcoin) com base em dados estatísticos de blocos encontrados recentemente. Isso possibilita a emissão de blocos com tempos relativamente consistentes, mesmo que o poder de hashing sofra grandes flutuações, sem sofrer com a exploração do tempo-warp.

  • A versão 2.0 do DGW foi implementada no Dash a partir do bloco 45.000 em diante, a fim de aliviar completamente a exploração do time-warp.

  • A versão 3.0 foi implementada em 14 de maio de 2014 para melhorar ainda mais a dificuldade de redirecionamento com transições mais suaves. Ele também corrige problemas com várias arquiteturas que tinham diferentes níveis de precisão de ponto flutuante por meio do uso de inteiros.

Taxa de emissão

Criptomoedas como Dash e Bitcoin são criadas através de um processo criptograficamente difícil conhecido como mineração. A mineração envolve a resolução repetida de algoritmos hash até uma solução válida para a atual dificuldade de mineração é descoberto. Uma vez descoberto, o minerador pode criar novas unidades da moeda. Isso é conhecido como a recompensa de bloco. Para garantir que a moeda não esteja sujeita à inflação sem fim, a recompensa em bloco é reduzida em intervalos regulares, como mostrado neste cálculo. A representação gráfica desses dados resulta em uma curva mostrando o total de moedas em circulação, conhecido como taxa de emissão de moedas.

Embora o Dash seja baseado no Bitcoin, ele modifica significativamente a taxa de emissão de moedas para oferecer uma redução mais suave na emissão de moedas ao longo do tempo. Enquanto Bitcoin reduz a taxa de emissão de moeda em 50% a cada 4 anos, Dash reduz a emissão em um décimo quarto (aprox. 7,14%) a cada 210240 blocos (aprox. 383,25 dias) .Pode ser visto que reduzir a recompensa de bloco por um montante menor a cada ano oferece uma transição mais suave para uma economia baseada em taxas do que o Bitcoin.

../_images/coin_emission.jpg

Taxa de emissão Bitcoin vs. Dash

Emissão total de moedas

Emissão total de moeda do Bitcoin pode ser calculado como a soma de uma série geométrica, com a emissão total se aproximando (mas nunca atingindo) 21.000.000 BTC. Isso continuará até 2140, mas a recompensa da mineração reduz tão rapidamente que 99% de todos os bitcoins estarão em circulação até 2036 e 99,9% até 2048.

Emissão total de moeda da Dash é também a soma de uma série geométrica, mas a emissão total final da moeda é incerta porque não se pode saber quanto da recompensa do bloco de 10% reservada para propostas do orçamento será alocada realmente, desde que esta depende do comportamento de votação futuro. Dash continuará a emitir moedas por aproximadamente 192 anos antes de um ano inteiro de mineração cria menos de 1 traço. Após 2209 apenas mais 14 traço será criado. O último Dash levará 231 anos para ser gerado, começando em 2246 e terminando quando a emissão pára completamente em 2477. Com base nesses números, uma oferta de moeda máxima e mínima possível no ano 2254 pode ser calculada entre:

17,742,696 DASH

Assumindo a alocação de tesouraria zero

18,921,005 DASH

Assumindo a alocação total de tesouraria

Alocação de recompensas de bloco

Ao contrário do Bitcoin, que aloca 100% da recompensa em bloco aos mineiros, Dash retém 10% da recompensa em bloco para uso no sistema descentralizado budget system. O restante do bloco, bem como quaisquer taxas de transação, são divididos 50/50 entre os mineiros e o masternode, que é deterministicamente selecionado de acordo com a lógica de pagamento. O Dash apresenta superblocos, que aparecem a cada 16616 blocos (aproximadamente 30,29 dias) e podem liberar até 10% do orçamento acumulado retido sobre período do ciclo orçamentário para as propostas vencedoras no sistema orçamentário. Dependendo da utilização do orçamento, isso resulta em uma alocação de recompensa aproximada de moedas ao longo de um ciclo orçamentário, como segue:

45%

Recompensa de Mineração

45%

Recompensa do Masternode para a Prova de Serviço

10%

Orçamento de Governança Descentralizada

On 13 August 2020, the Dash network approved a proposal to modify the block reward allocation from 50/50 between miners and masternodes to 40/60 respectively. Once activated, this reallocation will result in an incremental adjustment to the percentage share every three superblock cycles, or approximately three months. The following table shows the incremental reallocation process. Reward reallocation changes would begin at the first superblock following activation and then occur every three superblock cycles (approximately once per quarter) until the reallocation is complete. This documentation will be updated with the specific dates once activation has occurred.

Adjustment

Miner %

Masternode %

Change (%)

0 (Current)

50.0

50.0

0.00%

1

48.7

51.3

1.30%

2

47.4

52.6

1.30%

3

46.7

53.3

0.70%

4

46.0

54.0

0.70%

5

45.4

54.6

0.60%

6

44.8

55.2

0.60%

7

44.3

55.7

0.50%

8

43.8

56.2

0.50%

9

43.3

56.7

0.50%

10

42.8

57.2

0.50%

11

42.3

57.7

0.50%

12

41.8

58.2

0.50%

13

41.5

58.5

0.30%

14

41.2

58.8

0.30%

15

40.9

59.1

0.30%

16

40.6

59.4

0.30%

17

40.3

59.7

0.30%

18

40.1

59.9

0.20%

19

40.0

60.0

0.10%

Esta documentação é baseada em cálculos e posts de moocowmoo. Por favor, veja este post do reddit para mais detalhes, ou execute seus próprios cálculos de emissões usando esta ferramenta. Veja este site para dados ao vivo nas estatísticas atuais da rede.

Governança Descentralizada

Governança Descentralizada pela Blockchain, ou DGBB, é a tentativa de Dash de resolver dois problemas importantes em criptomoeda: governança e financiamento. A governança em um projeto descentralizado é difícil, porque, por definição, não há autoridades centrais para tomar decisões sobre o projeto. No Dash, tais decisões são tomadas pela rede, isto é, pelos donos dos masternodes. O sistema DGBB permite que cada masternode vote uma vez (sim / não / abstém) para cada proposta. Se uma proposta for aprovada, ela poderá ser implementada (ou não) pelos desenvolvedores do Dash. Um exemplo importante é no início de 2016, quando o Core Team do Dash submeteu uma proposta à rede perguntando se o tamanho do bloco deveria ser aumentado para 2 MB. Dentro de 24 horas, o consenso foi alcançado para aprovar essa mudança. Compare isso com Bitcoin, onde o debate sobre o tamanho do bloco tem durado por quase três anos.

O DGBB também fornece um meio para o Dash financiar seu próprio desenvolvimento. Enquanto outros projetos têm que depender de doações ou dotações pré-estabelecidas, Dash usa 10% da recompensa em bloco para financiar seu próprio desenvolvimento. Toda vez que um bloco é extraído, 45% da recompensa vai para o minerador, 45% vai para um masternode e os 10% restantes não são criados até o final do mês. Durante o mês, qualquer pessoa pode fazer uma proposta de orçamento para a rede. Se essa proposta receber aprovação líquida de pelo menos 10% da rede do masternode, no final do mês será criada uma série de «superblocos». As recompensas do bloco que não foram pagas (10% de cada bloco) serão usadas para financiar propostas aprovadas. A rede, portanto, se financia, reservando 10% da recompensa em bloco para projetos orçamentários.

Você pode ler mais sobre a governança do Dash na seção Governança desta documentação.

Sentinel

Introduced in Dash 0.12.1, Sentinel is an autonomous agent for persisting, processing and automating Dash governance objects and tasks. Sentinel is implemented as a Python application that binds to a local version dashd instance on each Dash masternode.

A Governance Object (or «govObject») is a generic structure introduced in Dash 0.12.1 to allow for the creation of Budget Proposals and Triggers. Class inheritance has been utilized to extend this generic object into a «Proposal» object to supplant the current Dash budget system.

../_images/sentinel.png

Diagrama destacando a relação entre Dash Sentinel e Core

Taxas

Transactions on the Dash network are recorded in blocks on the blockchain. The size of each transaction is measured in bytes, but there is not necessarily a correlation between high value transactions and the number of bytes required to process the transaction. Instead, transaction size is affected by how many input and output addresses are involved, since more data must be written in the block to store this information. Each new block is generated by a miner, who is paid for completing the work to generate the block with a block reward. In order to prevent the network from being filled with spam transactions, the size of each block is artificially limited. As transaction volume increases, the space in each block becomes a scarce commodity. Because miners are not obliged to include any transaction in the blocks they produce, once blocks are full, a voluntary transaction fee can be included as an incentive to the miner to process the transaction. Most wallets include a small fee by default, although some miners will process transactions even if no fee is included.

The release of Dash 0.12.2.0 and activation of DIP0001 saw a simultaneous reduction of fees by a factor of 10, while the block size was increased from 1MB to 2MB to promote continued growth of low-cost transactions even as the cost of Dash rises. Dash 0.13.0.0 introduced InstantSend autolocks, which caused masternodes to automatically attempt to lock any transaction with 4 or fewer inputs — which are referred to as “simple” transactions — and removed the additional fee for InstantSend. 0.14.0.0 then removed the limitation on 4 inputs, so the network will attempt to lock all transactions. The current fee schedule for Dash is as follows:

Tipo de transação

Taxa recomendada

Por unidade

CoinJoin

0.001 DASH

Per 10 rounds of CoinJoin (average)

All other transactions

0.00001 DASH

Por kB de dados de transação

As an example, a standard and relatively simple transaction on the Dash network with one input, one output and a possible change address typically fits in the range of 200 - 400 bytes. Assuming a price of US$100 per DASH, the fee falls in the range of $0.0002 - $0.0004, or 1/50th of a cent. InstantSend locking will be attempted on all transactions without any extra charge.

CoinJoin works by creating denominations of 10, 1, 0.1, 0.01 and 0.001 DASH and then creating CoinJoin transactions with other users using these denominations. Creation of the denominations is charged at the default fee for a standard transaction. Using CoinJoin is free, but to prevent spam attacks, an average of one in ten CoinJoin transactions are charged a fee of 0.0001 DASH. Spending denominated inputs using CoinJoin incurs the usual standard fees, but to avoid creating a potentially identifiable change address, the fee is always rounded up to the lowest possible denomination. This is typically 0.001 DASH, so it is important to deduct the fee from the amount being sent if possible to minimise fees. Combining InstantSend and CoinJoin may be expensive due to this requirement and the fact that a CoinJoin transaction may require several inputs, while InstantSend charges a fee of 0.0001 DASH per input. Always check your fees before sending a transaction.

Evolution

Dash Evolution is the code name for a decentralized platform built on Dash blockchain technology. The goal is to provide simple access to the unique features and benefits of Dash to assist in the creation of decentralized technology. Dash introduces a tiered network design, which allows users to do various jobs for the network, along with decentralized API access and a decentralized file system.

Dash Evolution will be released in stages. Dash Core releases 0.12.1 through to 0.12.3 lay the groundwork for the decentralized features behind the scenes. Version 0.13 introduces the foundation of Evolution, specifically DIP2 Special Transactions and DIP3 Deterministic Masternode Lists. Version 0.14 establishes DIP6 Long Living Masternode Quorums. Expected in late 2019, Dash Core 1.0 will introduce key Evolution features such as username-based payments, the world’s first decentralized API (DAPI) and a decentralized data storage system (Drive) based on IPFS.

Incluído abaixo está o nosso trabalho atual no Evolution, que adiciona muitos componentes como:

  • Drive: A decentralized shared file system for user data that lives on the second tier network

  • DAPI: Uma API descentralizada que permite que usuários de terceira camada acessem a rede com segurança

  • DashPay Carteiras Descentralizadas: Essas carteiras são clientes leves conectados à rede via DAPI e executados em várias plataformas

  • Segunda Camada: A rede masternode, que fornece infraestrutura compensada para o projeto

  • Budgets: O segundo nível é dado o poder de voto para alocar fundos para projetos específicos na rede através do sistema de orçamento

  • Governanca: O segundo escalão tem poder de voto para governar a moeda e traçar o rumo que a moeda leva.

  • Deterministic Masternode Lists: This feature introduces an on-chain masternode list, which can be used to calculate past and present quorums

  • Social Wallet: We introduce a social wallet, which allows friends lists, grouping of users and shared multisig accounts

Evolution Previews

Dash Dapps - Demoing Community Development on environment, 17 August 2020

Let’s Talk Dash Dapps feat. Sample Dapps & Wallet API (Ep 2), 6 August 2020

Let’s Talk Dash Dapps feat. Chrome Wallet (Ep 1), 28 July 2020

Os vídeos a seguir, com o Dash Founder Evan Duffield e o Chefe de Desenvolvimento UI/UX, Chuck Williams, descrevem o processo de desenvolvimento e os recursos futuros da plataforma Dash Evolution.

Evolution Demo #1 - O Primeiro Dash DAP, 16 Março 2018

Evolution Demo #2 - Mobile Evolution, 25 Abril2018

Evolution Demo #3 - Dashpay User Experience, 15 Maio2018

Chuck Williams on Evolution, Dash Conferencia em London, 14 Setembro de 2017

Evan Duffield on the Evolution Roadmap, Dash Force News, 28 Junho 2017